• (11) 3515-5287
radiação UV-A
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin

A tecnologia ultravioleta revolucionou o mundo dos Ensaios Não Destrutivos (END), tornando possível detectar e reparar com precisão uma vasta gama de defeitos que, permaneciam ocultos.

A tecnologia UV pode ser utilizada de forma rotineira e segura em aplicações de END, com poucas chances de risco à saúde, seguindo algumas orientações simples.

O termo “radiação ultravioleta” pode soar assustador para alguns, invocando imagens de colapsos nucleares e outros desastres. Porém, sem torná-lo excessivamente científico, é importante notar que o termo “radiação” é definido como “emissão ou transmissão de energia na forma de ondas ou partículas”. Ou seja, luz, ondas de rádio, sinais sem fio ou incontáveis outras energias naturais e artificiais são fontes que se
estabelecem ao longo do espectro eletromagnético (foto) e constituem alguma forma de radiação, cada uma com seus próprios usos e riscos potenciais.

Ondas de baixa energia são geralmente as mais inofensivas e são usadas para transmissões de rádio e televisão, enquanto raios X de alta intensidade e raios gama representam os maiores riscos de segurança – essa radiação de alta energia está associada aos medos que muitas pessoas associam a todas as radiações. A radiação infravermelha, comumente conhecida como calor, é o componente mais prevalente da
luz solar, seguida pela luz visível e, depois, pela luz ultravioleta.

O comprimento de onda UV-A (365 nm), usado em aplicações de END ou NDT (Nondestructive Testing), termo em inglês, se estabelece logo acima do limite superior do qual o olho humano pode detectar. Quando emitido sobre um material refletivo adequado, esta onda UV-A pode refletir a luz visível, tornando-a bastante útil para se enxergar o que o olho humano sozinho não consegue.

O simples ato de andar ao ar livre já leva à exposição à radiação UV-A. Portanto, assim como o protetor solar é recomendado para uma viagem à praia ou a qualquer outra forma de forte exposição à luz do sol, a exposição ocupacional a fontes de luz ultravioleta também exige precauções de segurança simples e usual.

Em aplicações de END, o fator de risco mais significativo associado à exposição à radiação UV-A é para os olhos, uma vez que a exposição prolongada e desprotegida está associada à catarata. Não olhar diretamente para uma fonte de luz UV é uma precaução importante, embora a maior preocupação com a exposição ocupacional seja
a luz UV refletida.

O uso de óculos de absorção de UV, fornecidos com luminárias de inspeção para NDT, impede que esses raios refletidos atinjam o tecido sensível dos olhos e é a precaução de segurança mais importante a ser levada em consideração quando se trabalha com lâmpadas UV. Mesmo que você nunca olhe diretamente para a lâmpada, sem proteção para os olhos, a luz UV refletida passará através do olho e poderá causar danos.

A exposição excessiva à radiação UV-A também pode potencialmente levar ao câncer de pele. Por isso, ao se realizar inspeções regulares de END, são necessárias medidas para se proteger a pele da luz UV refletida, principalmente usando-se roupas de mangas compridas. É essencial cobrir a pele tanto quanto for possível quando se trabalha com
a lâmpada UV.

O protetor solar também pode ser usado para o rosto e outras partes do corpo difíceis de proteger com roupas, porém, é importante se escolher um produto especialmente desenvolvido para bloquear raios UV-A a fim de otimizar a segurança ocupacional.

Não há limite de exposição ocupacional formal para a radiação UV-A, embora as diretrizes estabelecidas pela Conferência Americana de Higienistas Industriais Governamentais (ACGIH) sejam geralmente usadas como limites informais de exposição. As diretrizes são para a exposição NÃO PROTEGIDA e, apesar de bastante científicas, com o uso de proteção adequada dos olhos e da pele, não devem entrar em jogo. Siga os links abaixo, para mais informações.

Como o risco de dano aos olhos pode começar com uma exposição tão curta quanto 16 minutos, possivelmente menos no caso de uma fonte de alta intensidade, destaca-se a necessidade de proteção ocular durante o uso ocupacional das lâmpadas de inspeção UV-A.

O uso de óculos de proteção adequados, combinados com a roupa certa e filtro solar (quando aplicável) torna a UV-A totalmente segura para inspeção de rotina, permitindo que a tecnologia UV seja usada livremente e com segurança em diversas aplicações de END.

Mais informações:
Columbia University, Health Sciences Division “Working Safely with Ultraviolet Radiation”
http://ehs.columbia.edu/UV.pdf
Canadian Centre for Occupational Health and Safety – Ultraviolet Radiation
http://www.ccohs.ca/oshanswers/phys_agents/ultravioletradiation.html

Subscribe to our Newsletter

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Ut elit tellus, luctus nec ullamcorper mattis, pulvinar dapibus leo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Qualidade, Ética e Transparência.
Você Pode Confiar.

Ensaios Não Destrutiveis

  • Tudo Sobre END
  • Líquidos Penetrantes
  • Artigos Técnicos
  • Como Transportar
  • Links

Empresa

  • Contato
  • História
  • Instalações
  • Notícias
  • Trabalhe Conosco

Links Mais Acessados

  • FISPQ
  • Fotos
  • Politica de Gestão
  • Qualidade
  • Responsabilidade Social
Rolar para cima